O inventor da hemodiálise

Willem Johan Kolff
Prof. Willem J. Kolff (ao centro)
manuseando um dos primeiros modelos
de máquinas de hemodiálise

Willem Johan Kolff (14/02/1911 – 11/02/2009) médico holandês, naturalizado estadunidense, considerado o “pai dos órgãos artificiais”. Inventou a máquina de hemodiálise (rim artificial) em 1941 e tratou o primeiro paciente em 1943. Kolff era um jovem médico em Groningen na Holanda antes da segunda guerra mundial quando viu um jovem de 22 anos morrer de insuficiência renal. Então ele pensou: “se lhe conseguisse remover 20g de uréia diariamente, ele poderia ter sobrevivido”.

Então ele idealizou uma máquina que utilizava cerca de quarenta metros de tubos de membrana de acetato de celulose enrolada num tambor rotatório, o qual mantinha-se mergulhado em uma bacia contendo a solução de diálise. Uma bureta coletava o sangue do paciente (não havia bomba de sangue), e pela ação da gravidade o impulsionava através da membrana dialisadora. O sangue, depois de purificado, retornava ao corpo do paciente. (TUOTO, 2006).

A história registra quinze pacientes tratados pelo rim artificial antes que um deles sobrevivesse. A primeira sobrevivente foi Sophia Schafstadt, atendida em setembro de 1945, em coma. Após a hemodiálise, a paciente recuperou a conciência e viveu por mais sete anos. (TUOTO, 2006).

Em 1950 Kolff emigrou para os Estados Unidos onde iniciou um projeto de pesquisa para o desenvolvimento de um coração artificial. Em 1982, Kolff e sua equipe desenvolveram e implantaram o primeiro coração artificial (o “Jarvik-7“) em um ser humano, o paciente Barney Clark. (TUOTO, 2006).

1ª máquina de hemodiálise
Primeira máquina de Diálise – 1943:
Cilindro rotativo de Kolff

Em 2002, aos 91 anos, recebeu juntamente com Belding H. Scribner, da Universidade de Washington, o Prêmio Albert Lasker em Pesquisa Médica Clínica pela criação do rim artificial. Scribner e sua equipe desenvolveram um dispositivo em forma de “U” colocado permanentemente no paciente, atuando como uma fístula arteriovenosa, à qual é conectada a tubulação da máquina de diálise. Esse dispositivo propiciou a utilização da hemodiálise em um número cada vez maior de pacientes. (TUOTO, 2006).

Ainda em 2002, Kolff acompanhava os projetos de um pulmão artificial transportado pelo próprio paciente e do olho artificial para pacientes cegos.

Foi indicado ao Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2003, juntamente com William H. Dobelle, um de seus colaboradores, mas o prêmio acabou ficando com Paul Lauterbur (EUA) e Peter Mansfield (Grã-Bretanha) por suas descobertas no campo da ressonância magnética.

Graças a Willem Johan Kolff, eu e milhares de pessoas se mantiveram ou se mantém vivos em todo o mundo com a sua invenção. Obrigado Dr. Willen Johan Kolff pelos anos de trabalhos e estudos prestados a humanidade.

Para saber mais sobre a biografia do Dr. Willem Johan Kolff e outros grandes médicos da história da humanidade não deixe de visitar o blog Biografias Médicas do Dr. Elvio A. Tuoto no seguinte endereço: http://medbiography.blogspot.com/

Para maiores curiosidades acesse também o museu virtual da hemodiálise (em Inglês): http://www.homedialysis.org/learn/museum/

Referências:

TUOTO, E. A. “Willem Kolff (Biografia).” In: Biografias Médicas by Dr Elvio A Tuoto (Internet). Brasil, 2006. Consulta em Mar, 06 – 2011. Disponível em: <http://medbiography.blogspot.com/2006/10/willem-kolff-inventor-da-m_116025952212742813.html>

Sobre Naninho Luiz Ernani

https://naninho.blog.br/sobre/
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários